sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Homens sexo e monogamia

Se um homem está constantemente a pensar em sexo e as mulheres cada vez mais provocantes e atrevidas, como é que um homem pode ser monógamo?

Fácil. Quando ama verdadeiramente uma mulher e o sexo é fantástico.
E não é preciso tirar nenhum curso para se ter sexo fantástico. Ou ter tido muitos parceiros sexuais. Basta seguir os sinais que o nosso corpo nos dá em relação à pessoa amada. Não é por acaso que só o simples odor, ou um beijo na boca de quem se ama, para nos deixar nas nuvéns ou a ver fogo-de-artificio. São sinais de compatibilidade sexual. Que aliada a uma relação em que exista verdadeira intimidade, confiança, liberdade, onde se procura sem inibições dar e receber prazer, e a entrega seja total, atinge-se o tal sexo fantástico. O verdadeiro e genuíno êxtase sexual.

Pelo menos falo por mim. Venha quem vier, seja a maior bomba sexual, seja a Eva Mendes, que eu não a troco pela pessoa que amo. E é aqui que muitos homens cometem um erro enorme. Tendo uma mulher fantástica em casa, caem na tentação de uma noite de sexo com uma boazona (qualquer gaja de top e mini-saia) e na maior parte das vezes, o sexo com uma pessoa acabada de conhecer, mesmo uma hot baby, não é muito satisfatório. E aqui acho que não há perdão possivel. Se um homem trai só por divertimento, tendo uma mulher fantástica em casa, além de ser muito burro, não a merece.

E agora lembrei-me do Sr Fernando. Um empresário solteiro nas casa dos 50 anos, culto e com uma boa conta bancária. Costumava beber uns copos num bar que eu frequentava e onde ambos conheciamos o dono. As suas histórias de engates eram intermináveis, mas houve um dia em que o sr Fernando apareceu no bar um tanto ao quanto cabisbaixo. Fazia 51 anos nessa noite e dizia quase com uma lágrima no olho, que o único rosto que se lembrava, das inúmeras mulheres que passaram pela sua vida, era da última e que nunca em toda a sua vida se tinha apaixonado de verdade.

Nunca mais me esqueci do Sr Fernado nem desta história. E podem-me chamar o que quiserem, lamechas, sentimentalista, Don Quixote, que não tenho problemas em assumir, porque de tudo o que vivi até hoje, nada me preencheu tanto ou mais do que amar uma mulher. O tal "algo mais" que parece impossível e que pode persistir durante toda a vida.

11 comentários:

Sayuri disse...

Gostei muito do que li, e gostaria muito que todos os homens olhassem para o que têm em casa antes de fazerem merda... :)

Susana disse...

Hum....concordo em parte com o teu texto... mas creio que muitas vezes a traição é inevitável...nem sempre quer dizer que nao se valoriza a mulher amada...ás vezes simplesmente acontece :) ....Mas sim fosse o teu ponto de vista o espelho da mentalidade masculina ;)

Alexandra disse...

Concordo com o teu ponto de vista e o mesmo aplica-se a ambos os sexos.

Se bem que considero que, previamente ao amor, ainda deveria existir algo raro de ver: respeito.

Se nos pautássemos pelo respeito pelo próximo e por nós próprios talvez não existisse tanta gente infeliz e insatisfeita.

Uma traição, antes de ser o que é, é uma enorme falta de respeito.

E nenhuma relação pode funcionar sem o mesmo. Digam o que disserem.

Sanxeri disse...

Concordo em absoluto.

É preciso dar valor ao que realmente tem importancia. Tu até podes trair a tua namorada (imaginemos) com uma mulher toda jeitosa. E depois disso, o que é que ficas a ganhar? Nada.

Levas com os pés e a jeitosa põe-se a milhas. É o que acontece na maioria das vezes.

Há que dar valor ao que realmente tem valor. :) O amor.

Dona da Asa disse...

O sexo é o consolo que a gente tem quando o amor não nos alcança.
(Trecho do livro Memórias de Minhas Putas Tristes - Gabriel García Márquez)
beijos, flores e estrelas***

Fenix disse...

Não te chamo nada disso..., nem lamechas, nem sentimentalista, nem Don Quixote..., nada disso!
Acho que tens um raciocíno perfeito.
Como mulher, acho que demonstras ser tipo de companheiro fiel e dedicado que qualquer mulher (mesmo que não o diga) gostaria de ter.
Mas..., em tudo há um MAS..., muitas vezes as coisas não se passam assim de forma tão razoável. Por vezes a "razão tem razões que a RAZÃO desconhece" e não podemos esquecer que o homem (e a mulher) é também animal...
Às vezes o animal supera ou desliga, não sei bem, o racional...
Enfim..., para tudo há excepções e explicações...

Anónimo disse...

Pois...
Por tudo isto é que eu sempre achei que o verdadeiro prazer nunca pode resultar do sexo por si só...
Eu costumo resumir a intimidade, confiança e liberdade de que falas numa só palavra: cumplicidade (talvez seja deformação profissional!)
E é maravilhoso quando assim é, quando na e fora da cama cada um parece estar sempre sintonizado com o outro...atenção que isto não quer de modo algum dizer colados um ao outro sempre e para tudo, bem pelo contrário;é sim a capacidade de se ter uma vida em comum sem cada um abdicar da sua própria e isso também é como o bom sexo, só se consegue com amor!
O grande problema é que nós temos a estúpida tentação de nos contentarmos com menos - os homens na versão poligâmica e as mulheres na versão monogâmica (não sei se me estou a fazer entender?!).E há umas e outras(e uns e outros pois infelizmente não é um exclusivo do género ) que, com homens/mulheres como tu pelo mundo (o meu "optimismo militante" aconselha-me a pensar que serás raro mas não único!)têm uma inclinação especial para aqueles que em sã consciência (e sem falsas modéstias) sabem que não as/os merecem!
E tenho dito!
Eva

Paulo disse...

Susana
Não percebo porque é que a traição é inevitável. Das duas uma, ou a pessoa já não ama o companheiro/a ou então não tem caracter absolutamente nenhum! É a mesma coisa que estares numa ourivesaria cheia de peças de ouro lindíssimas, sem vigilância nenhuma e poderes roubar sem seres apanhada. Se o fiseres ninguém vai saber, só tu! Mas vais ter que viver com isso na tua consciência a vida inteira. É claro que se não tiveres caracter, isso não tem importancia nenhuma.
Infelizmente há muitas pessoas sem caracter.

Paulo disse...

Fénix
Mas há maior demonstração de instinto animal que uma noite de sexo fantástico, sem tabus e preconceitos e com uma entrega total?
Não confundir irracionalidade com falta de caracter. A traição gratuita é ceder à tentação. É não saber dizer não! É falta de caracter e como alguém muito bem disse, de respeito, não só pelo próximo como por alguém que supostamente se ama! Ou então amar não signifiva nada.

Paulo disse...

Eva
Por isso é que sempre defendi a emancipação feminina, porque o verdadeiro amor só pode surgir da liberdade da escolha. De se estar com quem se quer só e exclusivamente porque se gosta da pessoa e porque se sente bem. É o amor genuino!

Dasss... já pareço o Dr. Phill...
Tenho que começar a cobrar consultas :))

Cris... disse...

Amor.
O ingrediente que dizem fazer sentir o sexo como sublime.
Quem tivesse!