quarta-feira, 11 de março de 2009

Conversa só para homens (part II)

AVISO:
este post contem conteudos explícitos tanto sobre homens como mulheres

Uma das grandes dificuldades ao falar sobre mulheres, é que não se pode generalizar.

Se são todas umas serpentes e quanto a isso estamos todos de acordo, então a maior parte dos homens são sapos. E a contra natura disto é que há algumas serpentes que em vez de comerem os sapos ficam ali a beijá-los. E de cada vez que os beijam ficam sempre à espera. Mas à espera do quê?

É impressionante a quantidade de mulheres que falam mal do companheiro, mas são incapazes de o largar. Ao contrário, a maioria dos homem se suspeitar que dentro de um sapo pode haver uma mulher inteligente, pisa o sapo e ainda diz:«que nojo!E ainda queria saber se eu lia Kafka!» Os homens preferem beijar a princesa, mesmo que ela ao abrir a boca coache:«e depois?já viste que belas pernas?» Se nós somos parvos? Mas sempre fomos! Mas a culpa em parte é vossa. Reparem neste exemplo veridico:

"Uma biologa que trabalhou com mosquitos num projecto de medicina tropical, desenvolveu uma tecnica curiosa para os alimentar. Encostava o braço à rede mosquiteira da pequena gaiola e eles vinham e chupavam-lhe o sangue. Estranhamente a bióloga criou uma relação com o primeiro mosquito e quando o insecto morreu foi uma tragédia!
-como é que ele pôde morrer assim?Eu amava-o!..."

Ela foi capaz de se apaixonar por um insecto repugnante que lhe chupava o sangue! É a prova cabal de que uma mulher se pode apaixonar por qualquer um! Outra prova cabal é o estado em que vai o mundo, ou não são as fêmeas que escolhem os machos??E quando beijam o sapo ainda ficam à espera!!! Mas à espera do quê?

A facilidade com que as mulheres se apaixonam desmotiva um homem. Se elas realmente se apaixonassem pelos melhores.. ainda valeria a pena atravessar o Canal da Mancha a nado ou resolver a teoria da relatividade de cabeça. Infelizmente não é bem assim.

Para haver tanta mulher a queixar-se do companheiro, só prova que as mulheres escolhem os mais fracos. As mulheres amam os mais fracos, os vencidos da vida, os poetas tristes, os desprotegidos. Inclusive os que lhe chupam o sangue..

Mas afinal o que sei eu sobre mulheres? Não sei. E até tenho medo de saber. Continua a ser um grande mistério. Mas sei.. oh, isso eu sei! que existe uma afinidade qualquer entre a lua e as mulheres. Isso eu sei. Sei que a mesma força que empurra as marés. A secreta energia que faz crescer os campos semeados, essa mesma força profunda, essa tremenda energia, atravessa igualmente o corpo das mulheres. Sei porque já o vi acontecer. Sei porque já a senti na pele. Oh, se sei...

7 comentários:

Minie disse...

Também coloco idênticas questões sobre os homens....

Alexandra disse...

Discordo tanto mas tanto que terei que voltar cá amanhã porque agora não tenho tempo para testamentar!

Paulo disse...

Minie
Colocas?Tais quais?

Paulo disse...

Alexandra
Acho bem, que eu já estava a ficar desiludido com o vosso conformismo

Alexandra disse...

Então, cá vai.

Caríssimo, uma mulher larga muito mais facilmente um homem que um homem larga uma mulher. Não adianta inverter, já que está comprovado a olhos vistos. O homem primeiro pensa se pode adicionar mais uma mulher, o que é muito diferente. A maioria (pronto, uma parte considerável), tenta. Atenção, não estou de todo a minimizar, pelo contrário. Parece-me mais bígamo o homem que a mulher, simplesmente por questões de natureza (O que também não implica uma desculpa!).

Depois, mesmo que goste da "segunda" (terceira ou quarta), não larga a primeira. O comodismo(tirando as excepções, que não são mais do que isso mesmo)ataca de forma mais rápida e feroz o homem. Em tudo, no dia-a-dia, nas relações pessoais, amorosas e profissionais.

No caso da mulher, tirando também as devidas excepções e apesar dos "ventos modernos", raramente consegue pensar em dois homens ao mesmo tempo e suportar essa co-existência.

Estou a falar das situações em que aparece um terceiro mas a regra é a mesma para as restantes que implicam tão somente um "estou farta de ti, não conheci outro mas vai-te embora!".

No caso da mulher, ainda existia a questão da dependência financeira que, hoje em muito ultrapassada, deixou de ser condicionante.

Quanto à facilidade com que as mulheres se apaixonam, é tão relativo como acontece com os homens. Talvez tenhas "dificuldade" em te apaixonar, comigo acontece o mesmo, sendo que aqui já me parece mais uma questão de personalidade e feitio (e providência) do que propriamente sexo.

Dizer que as mulheres escolhem os mais fracos e que amam os mais fracos é o mesmo que dizer que os homens amam as complicadas.

Ninguém se apaixona ou escolhe. Sejam os melhores, os piores ou os assim-assim. Simplesmente porque a paixão é o antagonismo da escolha. Esta premissa vale para ambos os sexos.

Acresce que, também não existem os melhores ou os mais perfeitos. Todos os são, até atravessar a vitrine. Para além da vitrine, o panorama é sempre diferente, por vezes assustador.

Estás completamente errado quando referes que "As mulheres amam os mais fracos, os vencidos da vida, os poetas tristes, os desprotegidos." É o contrário! geralmente, gostam do sacaninha que não lhes liga nenhuma e faz dela gato sapato.

Agora que há muito homem que tem tendência em olhar para a mulher como olha para a mãe, isso há!

Os generalismos são o que são. Permitem pôr tudo no mesmo saco e ao mesmo tempo demonstrar precisamente que não são congruentes, dada a multiplicidade.

Paulo disse...

clap clap clap!
Muito bom!

E thank's god, que as mulheres não são todas iguais! Não por acaso referi no ínicio do post que os generalismos não são muito precisos nestas matérias. E acrescento, muito injustos!

E concordo a 100% com o teu primeiro parágrafo. 90% com o segundo e restantes até ao sétimo. Ai já generalizas,mas compreendo. É inevitável.

Dizes:
""Estás completamente errado quando referes que "As mulheres amam os mais fracos, os vencidos da vida, os poetas tristes, os desprotegidos." É o contrário! geralmente, gostam do sacaninha que não lhes liga nenhuma e faz dela gato sapato.""

Não estou não!Não me percebestes!Para mim esses sacaninhas são os tais fracos, os vencidos da vida, os desprotegidos(procuram na mulher os laços maternais que não tiveram) e os poetas tristes, da velhinha canção do bandido.E quando dizes que há muito homem que olha para a mulher como quem olha para a mãe, é o mesmo que dizeres que há muita mulher que olha para o homem de uma forma maternal! E há muita mulher que se refugia no homem fraco(de caracter) como porto de abrigo. Porto seguro de emoções fortes. de paixões incontrolaveis e destrutivas. E deixa-se morrer numa relação cinzenta.

Mas o que eu tento frisar no post.O que me irrita de morte, são as mulheres, que até têm carácter,inteligência,beleza, mas não têm força para se libertarem dos tais "mosquitos" que as sugam, manipulam e as mantêm presas a uma relação onde não são respeitadas de igual para igual.

de certeza que tens ou conheces amigas/conhecidas que se queixam constantemente dos companheiros, e não estou a falar das queixas normais que todos os casais tem, estou a falar de queixas sobre falta de respeito de serem tratadas como objectos (já nem falo de violência) ou de nem serem tradas de forma alguma, de serem completamente ignoradas (até que apareça alguém..)!

É isso que não entendo. Como é que se pode estar apaixonado por alguém que não nos respeita??
Como se não houvessem mais homens no mundo. Como se só nos apaixonassemos uma vez na vida. Não! É possivel ter duas ou mais grandes paixões na vida. E não sou eu que o digo, é o Francesco Alberoni, que parto do princípio que conheces.

Enfim, nem nós, nem o mundo, nem ninguém é perfeito..

Alexandra disse...

Paulo,

Como referi, ninguém se apaixona porque o escolhe.

É perfeitamente possível estar apaixonado por alguém que não nos respeita.

O que acontece é que, primeiro, acordas para a vida e percebes a situação (o que leva o seu tempo até o encanto desaparecer), depois, tomas uma atitude. Ou te deixas andar ou sais. Mas, mesmo saindo de cena, é perfeitamente possível continuares apaixonado. É possível não gostar do que essa pessoa é e continuar apaixonado (e detestar estar apaixonado). E, até, voltar a essa pessoa, sabendo que não é a escolha certa.

Não foram amigas, fui eu própria que estive na situação.

Simplesmente, saí. Se ainda mexe comigo? Muito. Continuo apaixonada? Sim. Gosto racionalmente daquela pessoa? Não. Vacilo? A toda a hora. Como é? Talvez a melhor comparação que possa fazer é o programa dos A.A. Um dia de cada vez, aprender a conviver com isso.

Lá está, tudo parece mais fácil quando visto de fora.

Racionalmente, quase todos sabemos o que queremos. Quando entra o emocional...é tramado! :-)

Beijinho