sexta-feira, 6 de março de 2009

f.....

Há tempos escrevi um texto com o título: "O sabor da cereja". Perdi-o. Neste momento escrevo sobre o sabor da azeitona. Mas não tem nada a ver. Talvez só o facto de estar neste preciso momento a comer azeitonas. Nem sequer sei muito bem dizer a que é que sabe uma azeitona. E depois, sem saber muito bem porque, lembro-me do menino com sìndrome de Down. Ou de que somos acidentes á espera que aconteçam. Como no sonho. E depois falta-me o ar. tento respirar e o ar queima cá dentro. Mergulho a cabeça no lavatório e respiro debaixo de água fria. Já não arde. E volto a lucidez. E apercebo-me de como assassino os meus dias docemente. Dias francamente suportáveis, mornos, medianos. Dias sem preocupações de maior.Sem nós na garganta. Sem desespero. Sem acidentes ao fazer a barba. E vejo o menino. E eu a estacionar o carro. A afastar-me e o acender dos piscas ao accionar o comando do carro. E a mulher a passar com um menino pela mão. E o menino a olhar para o carro. Fixa-o intensamente. O menino com a sindrome de Down. Como se o carro lhe fizesse sinal. A mulher com pressa puxa a mão do menino. E ele agora continua ao lado dela contrariado. A olhar fixamente o carro. E eu volto a accionar o comando do fecho do carro. Os piscas piscam e o menino estáctico a olhar para o carro sorri. Contente tenta chamar a atenção da mãe. A mãe que tem pressa. Não o ouve. Arrastá-o atrás dela. Atravessam a rua e viram a esquina. antes de virar o menino volta-se mais uma vez para o meu carro, e mais uma vez o meu carro o cumprimenta. Porque eu volto a accinar o comando do fecho. E o carro volta a piscar os piscas. E o menino volta a sorrir
e toda a tristeza do mundo invade-me os olhos

1 comentário:

Sanxeri disse...

Devem ser umas luzes fascinantes. :)

Se fizeste alguém sorrir (especialmente uma criança) já valeu a pena.