domingo, 23 de novembro de 2008

.... é tramado!.. Cavalo?

Ora então é assim, depois de seis meses de namoro, Margarida decide lembrar o facto ao António.

- Já reparaste que faz esta noite seis meses que começámos a namorar?
(Silêncio sepulcral no carro)

Margarida pensa para si própria: OH, diabo, será que ele ficou perturbado? Se calhar ele sente-se sufocado pela nossa relação. Se calhar ele pensa que eu estou a tentar empurrá-lo para algum tipo de obrigação que ele não quer, ou da qual não está seguro.

E o António pensa para si próprio: Caramba! Seis meses!!!

E a Margarida está a pensar: Mas....espera....eu também não estou assim tão segura de que quero este tipo de relacionamento. Às vezes eu desejava ter um pouco mais de espaço, para ter tempo para pensar se realmente quero que nós continuemos a sair como temos saido... Quero dizer....para onde é que nós estamos a ir?? Será que vamos continuar a ver-nos com este nível de intimidade? Será que estamos a seguir em direcção ao casamento? Em direcção a uma vida inteira juntos? Estarei eu pronta para este nível de cpmpromisso??

E o António continua a pensar: então isto que dizer que... deixa ver.... em Fevereiro começámos a sair, foi logo depois de eu ter ido com o carro à oficina, o que quer dizer que.... deixa-me ver o conta-quilómetros....EH LÁ!! Estou muito atrasado na mudança de óleo ao carro!

E a Margarida está a pensar: Ele está de certeza chateado. Consigo ver-lhe na cara. Se calhar estou a perceber tudo mal. Se calhar ele quer mais do nosso relacionamento. Mais intimidade, mais compromisso. Se calhar ele percebeu, mesmo antes de eu ter percebido, que eu estava a sentir algumas dúvidas! Por isso é que ele está tão relutante em dizer alguma coisa sobre os seus sentimentos...... está com medo de ser rejeitado!!!

E o António está a pensar: Vou pedir-lhes que vejam a transmissão outra vez. As mudanças não estão a entrar bem. E paguei eu uma fortuna a estes incompetentes!

E a Margarida está a pensar: Ele está zangado. Dá para ver pela cara dele! Sinto-me tão culpada! Fazê-lo passar por isto... mas não posso impedir a maneira como me sinto. Eu apenas não tenho a certeza!

E o António está a pensar: Provavelmente vão dizer que a garantia expirou.... aqueles sacanas!!!

E a Margarida está a pensar: Secalhar sou demasiado idealista, a espera da chegada de um príncipe montado num cavalo branco, quando estou sentada ao lado de uma pessoa óptima. Uma pessoa com quem gosto de estar. Uma pessoa que gosta verdadeiramente de mim. Uma pessoa que está a sofrer por causa do meu egoísmo, da minha fantasia...

E o António está a pensar: Garantia?? Eles querem uma garantia?? Eu dou-lhes uma sacana de uma garantia. Eles que apanhem a garantia e a enfiem....
- António - diz a Margarida alto.
- Sim Margarida?
- Por favor, não te tortures dessa maneira - Diz Margarida enquanto os seus olhos s enchem de lágrimas
- Mas o que é?
- Sou uma parva... quer dizer... eu sei que não há nenhum cavaleiro andante... eu realmente sei disso. É uma parvoice. Não há nenhum cavaleiro andante e não há cavalo.
- Não há CAVALO???
- Estás a pensar que eu sou uma parva, não estás?
- Não... cavalo?
- È só que... é que... eu preciso de algum tempo...
- Sim...
- Oh António, é isso mesmo o que tu pensas?
- Isso o que??
- Isso sobre o tempo?
- Tempo?AH! Sim, claro!

Margarida vira-se para ele, olhando-o intensamente nos olhos, fazendo-o ficar muito nervoso por causa do que ela pode dizer a seguir, especialmente se envolver um cavalo, por fim ela diz:
- Oh António...Obrigada.
- Obrigado eu.

No dia seguinte, Margarida liga à sua melhor amiga e fala do que se passou durante seis horas seguidas.
Enquanto António joga squash com uma amigo de Margarida, franze o sobrolho e pergunta:
- Jorge, algum dia a Margarida teve um cavalo?

10 comentários:

XR disse...

Não vale a pena tentares regular essa suspensão desta forma ... se de facto anda dessincronizada, em vez de pensares em cavalos, mudanças de óleo e transmissões procura uma benzodiazepina levezinha ;o)
... porque se continuas com esta opção irás continuar sem perceber porque é que algumas de nós ainda sonham com cavaleiros andantes que estilhacem os moinhos de vento à espadeirada :o*

Paulo disse...

Xr
Acredita que não penso em cavalos e transmissões (funciona lindamente) há muito tempo (o óleo ao carro mudei-o no mês passado), o problema parece-me ser o excesso de feniletilamina na corrente sanguínea e o problema dos cavalos é que normalmente erram o alvo e acertam no moinho errado...

Metade da Laranja disse...

Este diálogo serve para demonstrar que homens e mulheres não falam, de todo, a mesma língua. Um pensa em alhos e o outro em bugalhos...porque razão haveriam de se entender?

stranger disse...

sem dúvida que a maioria das vezes homens e mulheres têm pensamentos opostos... mas mesmo assim ainda acredito que existam homens com a mesma "frequência cerebral" que uma mulher!

XR disse...

@stranger:
também acredito que sim; custa é encontrá-los ... pero que los hay, los hay

XR disse...

btw ...@Paulo
Quando o encaixe da luva é perfeito, nem nos importamos que as cartas sejam ridículas - se forem sentidas.
Tenho pena que o cantinho do Heinlein esteja parado. Descontinuado ou em pausa?

P.S. E já agora peço desculpa pelas chuvadas de há 15 dias - mandei mudar o óleo do motor e dar uma lavadela ... e chove sempre que lavo o carro!

Paulo disse...

XR
O cantinho do Heinlein foi uma fase minha digamos que Lost in Translation. É passado, e como alguém disse uma vez: não voltes onde foste feliz

Ps: e eu pelas chuvadas desta noite, é que acabei de estender a roupa a secar...

XR disse...

@Paulo
Too bad, adorei as fotos. E sem pedir licença linkei uma coisa perfeitamente ridícula - e recebi recado para sacudir o pó à passadeira vermelha.

Maguetas disse...

Clap Clap Clap...

mar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.