terça-feira, 18 de novembro de 2008

Breve dissertação sobre homens, mulheres e o amor

Curiosa esta diferença entre homens e mulheres, em relação ao amor. Pelo menos neste ponto de vista, ora vejam:

Os homens sabem quanto pesam no dia seguinte. As roupas que usam de manhã, são as mesmas que usam à noite (num dia normal).

As mulheres encontram-se permanentemente em fase de transição.

O peso nunca é o mesmo de dia para dia. As roupas que usam ao pequeno-almoço poderam não ser as mesmas às seis da tarde (mesmo num dia normal). As calças estariam óptimas se tivessem menos 6 centímetros, se não tivessem botões ou elas (as mulheres) menos 2 quilos.

É este tipo de coisas que as mulheres introduzem no amor. Não se trata de partir para uma relação, com o intuito de mudar os homens. Não! Estão simplesmente habituadas a alterar as coisas de modo a que lhes sirvam! É natural que olhem para um homem interessante e partam do princípio de que podem mudá-lo acrescentando-lhe meia dúzia de acessórios, para combinarem com a vida delas!

Tudo isto pode parecer superficial, mas para uma mulher que se preze, não é! Pelo contrário, é vital! Ou já viram alguma mulher sair de casa com uma peça de roupa que não combine (isto claro, nos seus próprios parametros moda lisboa, ou portugal fashion)?

Portanto, os homens fazem desporto (de sofá), as mulheres fazem compras. Depois de uma vida inteira a percorrerem quilómetros e quilómetros quadrados de superficies comerciais em busca da blusa perfeita que combine com aquelas botas, as mulheres aprenderam duas estratégias básicas no que toca ao amor: Ou rejeitam imediatamente ou investem vários anos na tentativa de fazerem resultar uma relação (combinação)! Sim, porque num desvairio qualquer, compram-se sempre peças que não combinam com nada! E é uma grande chatice! E sabe-se de antemão, o esforço que as mulheres fazem para que uma relação funcione!

Resumindo, homens, se as vossas mulheres se esforçarem para que o artista sensível que há em vós, se sobre ponha ao fanático de futebol de sofá, não se assustem, são só elas a fazerem com que vocês combinem com a vida delas.

PS. Mas claro que isto não passa de mera especulação masculina, num belo dia de ócio ;)

12 comentários:

Patti disse...

Five Stars!

Gi disse...

Há homens com um sentido feminino e do feminino bastante apurado. ;)

Crix disse...

Não deixa de ser uma analogia interessante, se bem que, na minha óptica feminina, não há que moldar ninguém à nossa imagem; é na diferença que está o segredo....

Precis Almana disse...

Outro dia ouvi uma definição gira sobre o apaixonamento e o amor: nós apaixonamo-nos por quem nos vê como nós nos vemos - e gosta (deduzo eu). Daí que, em princípio, o amor é precisamente isso: nós estarmos bem com quem está bem connosco. Como somos e como o outro é. Nada de mudanças e etc. Só coisas que, naturalmente, saiam "para melhor". Eu sei que amo quando alguém faz sair de mim o que tenho de melhor. E sei que não amo quando não estou bem com o que a pessoa me faz sentir.

Em suma: o que descreves aqui não é amor. Para mim, pelo menos.

Paulo disse...

precis
:) como eu disse no post scriptum, o post foi uma brincadeira. É claro que o amor não é mudar o outro ou usa-lo como mero acessório. O texto foi apenas uma caricatura da excessiva preocupação de algumas mulheres em relação à imagem, à roupa e à relação que têm com esta projectada na relação com o sexo oposto.

E desde que não seja excessiva, gosto.
Gosto de ver uma mulher bem vestida (para a ocasião, não vá agora aparecer-me no concerto dos Xutos, com um vestido de gala, ou num jantar de gala de calções e t-shirt justos)bem arranjada (sem quilos de maquiagem) que espalhe por onde passa a sua feminilidade.
Bem, isto já dava outro post ;)

Metade da Laranja disse...

É uma visão interessante!!
No entanto, pelo menos eu, acho que não se devem moldar ou mudar as pessoas. Elas são como são. E se gostarmos delas, será pelo que são, com o bom e o menos bom.
A diferença está é em saber se o bom compensa o menos bom e se podemos viver com o menos bom.
Se assim for, então esse é um dos passos para que as coisas resultem! Ou possam resultar :)

Precis Almana disse...

Eu percebi, claro :-) E dei o meu contributo para a brincadeira. Porque a brincar, a brincar, lá se vão dizendo coisas sérias (no sentido de relevantes).

E... Pois! Tudo o que é excessivo e sem senso de ridículo... é excessivo e sem senso de ridículo :-P

memyselfandi disse...

Passei por aqui várias vezs e pensei seriamente se deveria deixar um comentário ao post ou não. E eu que achava que tu eras o único homem à face da terra que não era preconceituoso! Onde se insere este texto perante toda a tua sensibilidade para com o sexo oposto?
Agora a sério, será que os homens não fazem o mesmo com as mulheres? Não existe ninguém perfeito. Todos temos que nos adaptar e ceder um pouco de nós próprios quando queremos uma vida com outra pessoa, ou não? Se não estivermos dispostos a alguns sacrifícios, pequenos que sejam, a relação não vai resistir a nada!

z a i d a disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
z a i d a disse...

eu cá só aceito pretendentes q combinem com os meus sapatos e mala... :D

Paulo disse...

me
o primeiro parágrafo do teu comentário emocionou-me...:)
O post podia ser perfeitamente ao contrário! Até há muito pouco tempo (e ainda hoje, infelizmente) era norma ser a mulher o acessório ( e não só!) dos homens, felizmente que isso está a mudar, e como tal, não me importo nada de combinar com os sapatos e com a mala da Zaida :)

mar disse...

É verdade que há mulheres assim. Eu tenho uma amiga exactamente assim. Incrivel como consegues descreve-lo tão bem. Uau!