quinta-feira, 19 de março de 2009

a todos os pais deste país

É frequente dizer-se que os portugueses são invejosos. Agora numa sondagem a nível europeu, Portugal apareceu como um dos povos mais desconfiados. Piores do que nós, só mesmo alguns paises de leste. Como se já não chegasse a feia da inveja, temos agora a venenosa desconfiança. E esta para mim, é bem pior.

Uma pessoa que está sempre a desconfiar, sente-se num mundo hostil, onde todos a querem enganar. E torna-se pior do que é, porque ao pensar que todos a querem enganar, começa a agir em função disso e deixa de se relacionar normalmente com as outras pessoas. E as relações entre as pessoas vão-se deteriorando. perde-se a espontaneidade, a franquesa, para se tornarem cínicas e perversas. as pessoas começam a ser policias uma das outras.

E a falta de confiança começa nas crianças. Eu quando era miudo, também mentia como qualquer criança. Para fugir a um castigo ou ter alguma vantagem. Mas o meu pai raramente me castigava. Ou me ralhava: «Estás a mentir! Diz-me já a verdade ou ficas de castigo!». Não. Fazia de conta que acreditava na minha mentira e eu ficava desarmado. A sentir-me terrivelmente culpado. E não conseguia aguentar a mentira cá dentro. E a boca abria-se como que com vontade própria: «Pai, eu disse aquilo, mas não era verdade...». E assim fui-me habituando a ser verdadeiro.

E é muito triste ver pais desconfiados dos filhos e filhos desconfiados dos pais. E as crianças habituam-se a mentir para enganar e tornam-se adultos desconfiados, projectanto a desconfiança nos filhos. É um círculo vicioso. E a certa altura já ninguém acredita em ninguém. E as pessoas já não dizem o que realmente queriam dizer. E os outros agem em função do que supôem que o outro quis dizer e não em função do que o outro disse.

E acabo por ser apanhado por esta "doença". Já fui mais ingénuo. No bom sentido. De acreditar no que me dizem. E tenho pena. Não gosto que tenham inveja de mim, mas gosto muito menos que desconfiem de mim.

7 comentários:

Sanxeri disse...

Fico ofendida quando desconfiam dde mim. Faço por ser uma pessoa correcta, por merecer a confiança dos outros. Desconfiarem de mim é sinal que o meu esforço foi em vão.


Bonito texto Cisne. :)

Alexandra disse...

Eu tenho o problema de ver na confiança a base de qualquer relação. Não desconfio. Não pergunto, não ando com pulgas atrás das orelhas mas, se a traem, terminou ali.

Astrid disse...

Alguém, pelas esquinas da vida, já afirmou que a confiança é contagiante e a falta dela também.
Abreijos

Ana Omelete disse...

A mim também me acontece, mas sou muito ingénua por vezes.. custa-me mentir, não há necessidade.. acho que as mentiras só levam a mais mentiras e que, como bem diz o ditado, mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo..

mas isso é muito relativo, como o provam as reclamações que todos os dias chegam à DECO.

Beijinhos e boa noite! ***

*flor* disse...

Uma das coisas que mais me magoa é que desconfiem de mim... Raramente minto e quando minto dá logo para ver porque nao tenho jeitinho nenhum, é do tipo:

-Tens frio?
-Não... Eu estou bem. Não te preocupes.

(E a pessoa a rir-se de mim porque eu pareço um vibrador ambulante de tanto tremer de frio!!)

Eu ainda faço parte daquela pequena "comunidade" que acredita em tudo e em todos! Mas hoje em dia, talvez nao devesse ser assim...

!

beijito*

Ana Omelete disse...

@deu-me uma cabeçada na máquina quando estava a tirar a fotografia... o que resultou num galo, mas nada de especial :o) foi a emoção do momento. quem sonha em ser fotojornalista tem de se habituar a estas coisas.
beijinhos.

Anónimo disse...

Como tens razão...
E é tão bom confiar, mesmo quando os resultados são desastrosos!
Já prometi a mim mesma umas 100 mil vezes que ia deixar de confiar tanto mas continuo a fazê-lo.
Eva