sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Nina: Vim pedir-lhe o papel.
Leroy: A verdade é que, quando eu olho para ti, só vejo o Cisne Branco. Sim, és muito bonita, tímida, frágil - o casting perfeito. Mas então e o Cisne Negro? É um trabalho fodido fazer os dois.
Nina: Eu também consigo fazer o Cisne Negro.
Leroy: Ah, sim? Em quatro anos, sempre que danças, vejo-te obcecada em fazer cada movimento na perfeição, mas nunca te vi deixares-te ir. Nunca! Toda essa disciplina para quê?
Nina: Só quero ser perfeita (murmura)
Leroy: O quê?
Nina Eu quero ser perfeita.
Leroy: A perfeição não tem só a ver com controlo. Também tem a ver com soltar-se. Surpreender o público. Transcendência! Muito poucos a têm.
Nina: Eu acho que a tenho.

Argumento: M. Heyman, A. Heinz, J. McLaughlin

5 comentários:

Ana Omelete disse...

por acaso, acabei de ver o filme agorinha mesmo (excelente, como gosto do Darren Aronofsky, consegue sempre supreender-me com a sua realização) e também estava a escrever um post (programado) acerca dele... :)
beijinhos e boa noite.

XR disse...

Bem vindo de volta.
E continuo com saudades do SnowBall, aquele adorável filósofo peludo...
Beijos

henedina disse...

Olá Paulo, excelente escolha de diálogo...

Sahaisis disse...

Muito bom ;)

Anónimo disse...

Suor e inspiração! Só assim.